No dia 08 de julho de 2018 foi celebrada uma missa solene comemorativa dos 15 anos da Escola de Música Padre Simões e dos 307 anos de Ouro Preto. O ofício religioso contou com a participação da Orquestra Jovem e do Coral Francisco Gomes da Rocha, formados por alunos e professores da Escola. A Fundac se orgulha de participar da manutenção dessa importante ação sociocultural desde sua fundação.

Compartilhamos a saudação proferida na ocasião pelo padre Marcelo Moreira Santiago, vigário da Paróquia de Nossa Senhora do Pilar.

“Louvamos a Deus pelos 307 anos de Ouro Preto, nossa Vila Rica, pedindo, copiosamente, nesta Eucaristia que celebramos, graças e bênçãos para a nossa cidade e nosso gente para que reine, com passos largos, a paz e a concórdia e tenhamos dias melhores em tempos difíceis de grandes desafios econômicos e sociais, enfrentados não só pelo município, mas também pelo Estado e a União.

Há exatos 307 anos, nesta igreja, por ordem Sua Majestade o Rei de Portugal, tomava posse, como governador das Minas Gerais, o Senhor Capitão-general Antônio de Albuquerque Coelho de Carvalho que, cumprindo determinação da coroa, uniu os arraiais do Ouro Preto e Antônio Dias, consolidando uma nova povoação, elevada a Vila – Vila Rica, hoje Ouro Preto. Neste mesmo dia, foram eleitos os oficiais da Câmara e membros do governo que, por suas vontades elegeram que continuasse a invocação Nossa Senhora do Pilar, como a Padroeira da Vila.

Passados tantos anos, unimo-nos aos que, eleitos, nos representam nas instâncias públicas, às lideranças dos vários segmentos da sociedade ouro-pretana e ao nosso povo, de modo especial, para renovar, juntos, nosso amor por Ouro Preto e nosso compromisso para com esta cidade – Patrimônio Mundial da Humanidade, que a todos encanta por sua extraordinária beleza artística, sua rica história e sua pujante religiosidade e, sobretudo, por sua gente fidalga, hospitaleira e trabalhadora que não desiste de lutar por mais vida, dignidade e oportunidades.

Pedimos à Virgem-Mãe do Pilar, Padroeira de Ouro Preto, celebrando o 55º aniversário de sua Coroação Pontifícia, por mercê do Papa São João XXIII, que continue intercedendo por esta cidade e seu povo, inspirando-nos a nos guardar na fé, na esperança e na caridade; a viver sob o Pilar da Santa Religião; a fazer, em tudo, a vontade de seu Filho Jesus e a colocar os dons a serviço da vida e da esperança, por uma Ouro Preto para os ouro-pretanos; para os que foram acolhidos neste solo abençoado e para os que aprenderam a amar esta terra de encantos mil, berço dos ideais de civilidade e de cultura, símbolo das lutas por liberdade e morada da fé que aqui foi plantada e germinou, de forma exuberante, esculpindo uma religiosidade de feições próprias que alimenta, há séculos, a vida de seu povo.

Corria o ano de 1963 e Ouro Preto vivia com grande expectativa, com muitas iniciativas e celebrações, preparando-se para esta Coroação Pontifícia. Mesmo com a morte, em 26 de maio, de Monsenhor João Castilho Barbosa, a frente desta paróquia por 63 anos, a Coroação Pontifícia recebeu o comprometimento do novo pároco – Padre Simões e da Comunidade paroquial.  Grandiosos festejos, ainda hoje na memória de muitos ouro-pretanos, marcaram este acontecimento de fé na história desta Paróquia e de nossa Ouro Preto, para sempre consagrada à Virgem Maria, invocada a Senhora do Pilar.

Na oportunidade, rendemos louvores também pelos 15 anos da Escola de Música Padre Simões. Com o maestro Carlos Alberto Baltazar,  Padre Simões, nosso antecessor de saudosa memória, foi o grande mentor e fundador desta Escola que, após o seu falecimento, em 20 de janeiro de 2009, recebeu o seu nome, justa homenagem a quem foi dos grandes baluartes da fé e da arte nesta cidade.

Muito antes, já nos anos 70, este sonho era acalentado pelo Padre Simões e pelo Maestro Carlos Alberto. Sonho consolidado a partir de 2003, quando os maestros Márcio Miranda Pontes e Alcindo Alves e o Padre Simões abraçaram deram curso a este sonho e estabeleceram os caminhos para a criação da escola de música. No início, foram 20 flautas recebidas em doação da ALCAN – fábrica de alumínio em Ouro Preto, e depois 64 instrumentos de corda adquiridos pelo Museu de Arte Sacra através de um projeto beneficiado pela Lei Rouanet. O tempo passou, são 15 anos de história de muitos investimentos e de grande progresso. Atendemos hoje, com grande profissionalismo e competência, um número aproximado de 150 crianças e jovens, de toda a cidade, inclusive de distritos.

Nossa Escola de Música Padre Simões cresce, a cada ano, a olhos vistos, educando, através da música, as novas gerações; abrindo horizontes de profissionalização e de inserção sociocultural, além de preservar e oferecer ao público dos nossos dias, um dos acervos musicais dos mais importantes, conservado por esta comunidade paroquial do Pilar, e, mormente revisitado em suas festas religiosas, como na celebração deste dia, em que se executa a Missa em Fá, de Lobo de Mesquita.

Deus abençoe os integrantes desta Escola – direção, professores, monitores, maestros, alunos e benfeitores. De modo especial, o Museu de Arte Sacra do Pilar e a FUNDAC – Fundação Cultural de Minas Gerais, mantenedoras da Escola. Nas pessoas dos professores Francisco José Fogaça, Virgílio Varella Viana e Paulo Barata, muito agradecemos a parceria da FUNDAC, fundamental para que a Escola continue levando avante seus projetos educacionais e sociais, a partir do viés da música.

Vida longa para a nossa Ouro Preto e seu povo; bênçãos das mais copiosas para a Escola de Música Padre Simões. Que a proteção da Senhora do Pilar nos seja constante e nos favoreça colher, sempre, muitos frutos em todas as iniciativas.

Com o coração em júbilo, irmãos e irmãs, saudemos Ouro Preto e sua Padroeira, a Senhora do Pilar; saudemos a Escola de Música Padre Simões, na altura de seus 15 anos. Por tudo, Deus seja louvado!”